quarta-feira, 11 de julho de 2012

PARA EVITAR A CORROSÃO


Não é novidade para os músicos da Baixada Santista que os efeitos da maresia e do alto grau de umidade do litoral são devastadores para os instrumentos musicais, especialmente as guitarras, contrabaixos e violões elétricos.

No entanto, por mais que a salubridade corroa as cordas, ferragens e sistema elétrico, há diversas maneiras de driblar a destruição da água e do sal.

A seguir, algumas dicas para reduzir a ação ocasionada pela maresia.

CORDAS

Quem mora na Região Metropolitana da Baixada Santista sabe que a maioria das marcas de cordas de guitarra em apenas um mês de uso apresenta alto grau de corrosão, exceto a Elixir, que possui uma película protetora anti-corrosiva.

Nestes casos, a dica é limpar as cordas, a cada 10 ou 15 dias, com óleo de máquina ou WD40. O procedimento é o seguinte: pingue algumas gotas de óleo de máquina (ou WD40) em um chumaço de algodão; esfregue suavemente sob as cordas, mas atenção: “não deixe que o produto escorra pela escala”.

Esta técnica aumentará o tempo de vida das cordas, com exceção  da corda Elixir. Nela o procedimento é diferente, pois o óleo poderá corroer a película protetora, fazendo com que as cordas enferrujem com maior rapidez. Portanto esta marca, em especial, deve ser limpa somente com algodão seco.

SISTEMA ELÉTRICO

Uma constatação muitos violões elétricos tiveram pré-ativos pifados em menos de dois anos de uso – e em diversas vezes de forma irreversível. Para minimizar a oxidação ocasionada pela umidade, peça para seu luthier de confiança abrir a caixa do pré-ativo e colocar um sache de sílica gel, que deverá ser substituído a cada seis meses.

No caso das guitarras e contrabaixos, o processo é mais simples. Abra a tampa, prenda - cuidadosamente - um saquinho de sache entre a fiação do instrumento.

FERRAGENS

O tipo de tarraxas e pontes que mais sofrem com o clima tropical litorâneo são as douradas. Em pouco tempo elas oxidam e ganham tons esverdeados de zinabre.

A dica para essas peças (em especial as douradas) é evitar a aplicação de qualquer tipo de produto químico, pois podem ocasionar na remoção de sua tinta protetora. Para mantê-las, apenas limpe-as com algodão seco, sempre antes de guardar o instrumento.

LOCAL PARA GUARDAR
Evite deixar seu instrumento em lugares próximos às janelas e locais aonde são formadas correntes de ar, principalmente se a residência for próxima à praia ou canais santistas. Procure sempre deixar seu instrumento nas bolsas ou estojos especiais.

 (Procure sempre saber a escola e conhecer os trabalhos de seu luthier)

4 comentários:

  1. Um produto muito bom que eu tenho usado e tem dado certo é o "Super Slide". Preserva as cordas e revitaliza as usadas. É só usar antes e depois de tocar. Limpa a seco não necessita solução, limpa e pule os trastes, Pode ser utilizado em qualquer instrumento de corda.
    Maestro Gabriel Lima

    ResponderExcluir
  2. Opa, Maestro Gabriel!
    Obrigado pela dica, que veio a somar com o texto.
    Um abraço e obrigado pela contribuição!
    Vitor Gomes

    ResponderExcluir
  3. Legal essas dicas.Aonde se compra esse sache de silica em gel?E prende ele como na parte elétrica ?É só deixar ele la?

    ResponderExcluir
  4. Há uma loja que comercializa pianos no Canal 1, em Santos. Acredito que lá deve vender. Tenho alguns saches de sílica em minha oficina. Consigo com um colega.
    A sílica não deve ficar solta no espaço da parte elétrica, pois trata-se de um objeto estranho que se mal colocado pode prejudicar os componentes eletrônicos. Por isso, ela deve ficar presa em um local estável, entre os fios. O procedimento deve ser feito com muito cuidado e critério para não danificar o sistema.
    Obrigado pela participação
    Abraço
    Vitor Gomes

    ResponderExcluir