domingo, 12 de junho de 2011

CARACTERÍSTICAS DAS MADEIRAS TRADICIONAIS

No texto anterior vimos os motivos pelo qual a melhor madeira é a envelhecida. Neste, focaremos as características das madeiras utilizadas em fábricas mundo afora, já que no mercado de instrumentos musicais imperam algumas espécies de madeiras que ao longo das décadas foram se tornando tradicionais, mas nem por isso, são as melhores.

Por causa do forte tradicionalismo criado no setor, muitos dos instrumentos fabricados aqui no Brasil (que possui uma das mais ricas diversidades florais do planeta) infelizmente são feitos com madeiras importadas, como o Ash e o Maple.

E assim, a nossa riqueza natural é subjugada pelo favoritismo mercadológico, pois a maioria das guitarras e contrabaixos (independentemente de a fábrica ser ou não nacional) possui corpos feitos em Agathis, Alder, Ash, Basswood, Maple, Mogno, Poplar e Spruce (tampo de guitarras semi-acústicas).

Nos braços as preferências são o Maple, Mogno, Cedro e Walnut; enquanto as escalas são feitas, geralmente, em Maple, Jacarandá Indiano (Rosewood), pau-marfim (em alguns instrumentos nacionais).

Confira abaixo, as características das principais madeiras utilizadas pelas fábricas de instumentos

Alder – Madeira de baixa densidade. Muitos músicos não gostam da sua aparência estética, mas concordam que ela favorece os médios e agudos. Segundo um estudo do engenheiro florestal Gustavo de Amorim Fernandes, a velocidade de propagação sonora é de  4836 m/s.

Ash –
Por ser uma madeira de densidade média, um instrumento com corpo feito em Ash é certamente mais pesado do que um em Alder, característica que favorece os médios e agudos. De acordo com o trabalho de Amorim Fernandes, a velocidade de propagação sonora é de 4875 metros por segundo, neste aspecto é bastante similar ao Alder.

Basswood –
Madeira extremamente leve. Utilizada na construção de corpos de guitarras maciças, como alguns modelos da Fender fabricados no Japão. Segundo a pesquisa de Amorim Fernandes, a velocidade de propagação sonora é de 5687 metros por segundo.

Cedro –
Esta madeira nacional é bastante utilizada pelos instrumentos Tagima fabricados no Brasil. De densidade média, esteticamente esta madeira é bastante similar ao mogno (ou seja, sem graça). Porém, sua velocidade de propagação sonora é superior. De acordo com Amorim Fernandes, a velocidade de propagação sonora do Cedro é de 4639 metros por segundo, enquanto a do mogno é de 3464 m/s.

Ébano –
Trata-se de uma madeira africana muito rara. Por ser de alta densidade e cara, é utilizada apenas nas escalas de instrumentos “top de linha” ou feitos por luthiers. Segundo pesquisa, a velocidade de propagação sonora é de 4333 metros por segundo.

Jacarandá (Rosewood) – Madeira de alta densidade. Dentre os jacarandás, o mais apreciado é o baiano (nacional). Assim como o Ébano é usado nas escalas dos instrumentos. De acordo com o estudo de Amorim Fernandes, a velocidade de propagação sonora é de 3590 m/s.

Maple –
Esta é uma madeira que é utilizada tanto no braço quanto no corpo. Em alguns casos é possível encontrar, ainda, escalas feitas com essa madeira – embora, na  opinião de muitos músicos,  não seja a melhor escolha por ser relativamente porosa, macia e clara. Portanto, se não for envernizada, a escala poderá sujar rapidamente. A vantagem desta madeira é que, além de ser leve, de acordo com Gustavo de Amorim Fernandes, a velocidade de propagação sonora é de 4880 metros por segundo, um bom número.

Mogno –
É conhecida por ter sido adotada pela Gibson. De acordo com a pesquisa de Amorim Fernandes, a velocidade de propagação sonora é de 3464 metros por segundo. Trata-se de uma madeira de densidade média, porém é, geralmente, menos densa que o Maple.

Marupá –
Madeira de média densidade, vulgarmente conhecida como Caixeta, por ser utilizada também na fabricação de caixas de feiras. Por ser bastante utilizada na construção de corpos de guitarras e baixos Tagima, é garantia de um instrumento leve. Segundo Amorim Fernandes, assim como o Mogno, o Marupá é uma madeira de “média densidade e baixa velocidade de propagação” do som. Geralmente os instrumentos fabricados com ela são pintados pelo fato de a madeira não ser bonita.

Poplar –
Madeira bastante leve, com características sonoras similares ao Marupá. Porém a velocidade de propagação sonora é de 5052 metros por segundo.

Spruce –
É utilizada apenas nos tampos de guitarras acústicas, semi-acústicas e violões, por ser uma madeira leve e com boa resposta. Segundo o estudo de Amorim Fernandes, a velocidade de propagação sonora é de 5180 metros por segundo, excelente velocidade.

Pau-marfim
– embora seja clara como o Maple, esta madeira brasileira possui alta densidade. Em questão de sonoridade, por ser uma madeira densa e dura, na escala pode ser substituída pelo Jacarandá.

114 comentários:

  1. Olá, saudações! Você sendo Luthier, poderia me dar uma dica sobre a Cort G200 series? Penso em comprar uma e fazer umas modificações, pois, pelo que vi, ela vem com um corpo de madeira Hardwood (ainda não sei qual especificamente), e baseando-me pelo fato de muitas guitarras famosas e de qualidade utilizarem madeiras Hardwood, pensei na possibilidade de mexer na captação dessa Cort (made in Indonésia) colocando uns caps Fender stratocaster e ter uma guita legal. Ou você aconselharia comprar uma Squier e mexer nela? Outra coisa que eu queria fazer é o mesmo processo com uma guita modelo Telecaster. Antecipadamente, muito obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite
      Primeiramente, agradeço pela confiança!
      Gostaria de saber o seu nome para termos um contato melhor.

      Respondendo a sua pergunta, a Cort G200 é uma guitarra razoável. Não posso lhe dizer ao certo o nome da madeira do corpo, pelo fato de a definição Hardwood (Madeira Pesada) ser um tanto abrangente.

      Somente no Brasil, temos uma infinidade de madeiras pesadas. Elas são muito distintas entre si.

      Temos no país a peroba rosa, peroba do campo, o pau-brasil, diversas espécies de ipê, muiracatiara, muirapiranga, angelim, angico, jatobá, sibipiruna, coração de negro, amarelinho, pau-marfim, roxinho entre diversas outras madeiras pesadas e duras. No entanto, muito diferentes entre si, como já disse.

      Por isso, acredito que é meio difícil definir com exatidão a madeira do corpo. A própria fábrica deve utilizar diversas espécies de madeira pesada. Por isso resolveram definir abrangentemente como Hardwood.

      O que posso lhe dizer é que o braço deve ser em maple e a escala em rosewood (jacarandá indiano), que por vez é muito diferente do nosso jacarandá da Bahia.

      O conselho que dou é comprar uma Squier. É mais confiável. Se você ainda não tiver comprado os captadores da Fender, procure conhecer a linha da Malagoli. Trata-se de uma empresa nacional que fabrica captadores de ótima qualidade - nível de Fender americano - e baixo custo.

      Você pode instalar os Malagolis em sua Tele também. Todos os meus clientes (incluindo os mais exigentes) que instalaram peças desta marca, não se arrependeram!

      Você é de Santos ou da Baixada Santista?

      Espero ter ajudado

      Obrigado pela confiança

      Vitor Gomes
      (13) 3021-6394

      Excluir
    2. Olá, muito show a matéria. Estou pensando em construir uma telecaster com H H pra ter um timbre bem encorpado, unindo modelo do corpo telecaster que sou muito adepto e o timbre encorpado de uma lespaul, das madeiras de que você mencionou qual seria a melhor para minha experiencia ?

      Excluir
  2. Boa noite
    Primeiramente, agradeço pela confiança!
    Gostaria de saber o seu nome para termos um contato melhor.

    Respondendo a sua pergunta, a Cort G200 é uma guitarra razoável. Não posso lhe dizer ao certo o nome da madeira do corpo, pelo fato de a definição Hardwood (Madeira Pesada) ser um tanto abrangente.

    Somente no Brasil, temos uma infinidade de madeiras pesadas. Elas são muito distintas entre si.

    Temos no país a peroba rosa, peroba do campo, o pau-brasil, diversas espécies de ipê, muiracatiara, muirapiranga, angelim, angico, jatobá, sibipiruna, coração de negro, amarelinho, pau-marfim, roxinho entre diversas outras madeiras pesadas e duras. No entanto, muito diferentes entre si, como já disse.

    Por isso, acredito que é meio difícil definir com exatidão a madeira do corpo. A própria fábrica deve utilizar diversas espécies de madeira pesada. Por isso resolveram definir abrangentemente como Hardwood.

    O que posso lhe dizer é que o braço deve ser em maple e a escala em rosewood (jacarandá indiano), que por vez é muito diferente do nosso jacarandá da Bahia.

    O conselho que dou é comprar uma Squier. É mais confiável. Se você ainda não tiver comprado os captadores da Fender, procure conhecer a linha da Malagoli. Trata-se de uma empresa nacional que fabrica captadores de ótima qualidade - nível de Fender americano - e baixo custo.

    Você pode instalar os Malagolis em sua Tele também. Todos os meus clientes (incluindo os mais exigentes) que instalaram peças desta marca, não se arrependeram!

    Você é de Santos ou da Baixada Santista?

    Espero ter ajudado

    Obrigado pela confiança

    Vitor Gomes
    (13) 3021-6394

    ResponderExcluir
  3. Boa Noite

    Então ate onde eu entendi as madeiras que mais se aproximam do Alder seriam

    1º Cedro Rosa
    2º Ash
    3º Freijó

    Seria exatamente nessa ordem ?

    tipo se fosse construir um baixo e quisesse um timbre que chegasse próximo aos fender Deluxe

    Seria corpo em cedro rosa , braço em Marfim escala em jacaranda ou rosewood, e a mesma captação ?

    seria exatamente essa configuração ?

    ResponderExcluir
  4. Boa noite Will!
    Essa pergunta é um tanto complexa. Não podemos afirmar isso ao certo, pois se retirarmos um Alder do centro da árvore, ele terá características um tanto diferentes de uma peça removida de suas extremidades.
    O corpo poderia ser feito em cedro rosa, mas o braço jamais deverá ser feito em Pau-Marfim. Isso porque essa madeira tem características muito diferentes do Maple. Tente usar a Araucária em seu lugar.
    Quanto à escala. Rosewood é a mesma coisa que Jacarandá. O mais nobre desta família é o Jacarandá-da-Bahia.
    A captação é muito importante. Se vc não tiver recursos para comprar um jogo americano da Fender, recomendo os captadores da marca Malagoli, que reproduzem Fender com fidelidade incrível.
    Espero que tenha ajudado.
    Obrigado pela participação
    Abraço
    Vitor Gomes

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde! Primeiramente, gostaria de parabenizar pelo site. Em segundo lugar, gostaria que me me ajudasse. Estou voltando a tocar guitarra e preciso de uma nova para ensaios e apresentações em pubs, por exemplo. Encontrei uma Ibanez por R$ 800,00. Com ponte floyd rose e microafinação. Esteticamente eh linda. O ponto que me deixa em dúvida é: vou ficar satisfeito com o som dessa guitarra por ser madeira basswood? Visto que uma guitarra semelhante (mesma marca, mesmo captador, ponte e microafinação), só que com corpo em mogno, está em torno de R$ 2.000,00. Vale a pena pagar mais somente pela madeira? Seria mais interessante eu comprar essa de R$ 800,00 e colocar captação EMG? Grato pela atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Jaymão.
      Tudo certo?
      Fico feliz que tenha gostado do blog.
      Agradeço pala sua confiança e participação!
      Respondendo à sua pergunta, vala a pana sim investir em uma guitarra em mogno. Apesar de ser mais que o dobro do preço, trata-se de um instrumento feito com uma ótima madeira.
      Mas certifique-se se de que ela é realmente mogno. Procure saber o país de origem e a qualidade da madeira, pois há diversos tipos de mogno, lembrado que o mais apreciado é o brasileiro.
      Veja também se as guitarras estão em bom estado.
      Confira o funcionamento do tensor, dos captadores e da ponte.
      Se vc quiser trocar o captador e economizar dinheiro, uma dica é optar pela marca nacional Malagoli. Esses caps são de ótima qualidade (não devem nada para os melhores do mundo) e possuem um preço justo.
      Espero que tenha ajudado.
      Um grande abraço
      Vitor

      Excluir
  6. Olá Bom Dia
    Gostei muito desta matéria bastante informativa...
    Se fosse possível, gostaria de uma dica para comprar uma guitarra.
    Estou em dúvida na guitarra Condor GX-50 e Squier 60S CLASSIC VIBE STRATOCASTER, a condor a madeira é BASSWOOD e Squier a madeira é Alder e tem outra em Agathis.

    Aguardo a Resposta

    Att.:
    SAmy Freire

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Samy!
      Tudo certo?
      Primeiramente, agradeço pela confiança!
      Esta questão é um tanto subjetiva.
      Para o meu gosto, prefiro a Squier em Alder. Mas o ideal é que você toque em todas as guitarras e escolha a que for mais confortável e que tenha um timbre que lhe agrade.
      Importante, também, é ter certeza de que o instrumento é feito em madeira maciça, e não de compensado.
      Obrigado e abraço
      Vitor Gomes

      Excluir
  7. Caraca muito boa a matéria excelente!!

    gostaria de uma dica como voce parece ser fera no assunto, estou querendo construir uma replica da fender stratocaster edição modelo David Gilmour, se n me engano o corpo é Alder, braço Maple, escala Rosewood, como posso substituir essas madeiras por Nacionais afim de garantir o mesmo timbre, som, qualidade, tom? (OBS: SUPONDO QUE A PARTE ELETRICA SEJA PERFEITA)

    envie resposta no email arthursaggin@gmail.com obrigado.

    Arthur.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Arthur
      Obrigado pela confiança!
      Respondendo à sua pergunta, o maple (do braço) pode ser substituído pela caxeta ou cedro, por serem, respectivamente, madeiras de baixa e média densidade.
      A escala pode ser feita em jacarandá paulista ou ipê.
      Vale lembrar que o timbre não será exatamente igual ao das madeiras utilizadas no exterior.
      o que recomendo é que você procure um bom luthier (de preferência formado em escola pública) para que juntos vocês estudem as melhores madeiras e sistema elétrico para que o timbre que você deseja seja alcançado.
      O Brasil possui uma rica flora. Só para ilustrar a Mata Atlântica guarda a maior biodiversidade do planeta.
      Portanto, com madeiras nacionais, aliada a uma boa construção do instrumento, é possível atingir timbres únicos e diversos!
      Mas para isso, é importante contar com a assessoria de um profissional que trabalhe, também, com um respaldo científico.
      Obrigado e abraço
      Vitor Gomes

      Excluir
  8. Boa tarde.
    Pretendo montar uma guitarra de 7 cordas, ponte evertune, dois Seymour Duncans Distortions, escala 27,5", as guitarras que encontrei com um timbre legal (para meu gosto), são fabricadas de ASH com escala em ébano, como eu gostaria de fabricar uma guitarra com madeiras nacionais, quais madeiras daqui são semelhantes ao ASH?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Leandro!
      Tudo certo!
      O cedro e o freijó, por serem de média densidade, se assemelha bastante ao Ash. Porém, esta é apenas uma das características. Temos que avaliar a propagação do som, elasticidade, umidade relativa, porosidade, peso consistência etc..
      Para poder lhe orientar com precisão, teria que saber, ao certo, o timbre que você busca para fazermos um amplo estudo das diversas possibilidades de madeiras de média densidade que a flora nacional oferece.
      Abraço

      Excluir
  9. Boa noite!

    Gostei muito do blog e se possivel gostaria de tirar uma duvida se possivel?

    Tenho algumas guitas aqui, mas a minha primeira, que não quero desfazer é uma epiphone special (gosto do braço que acredito ser de maple, mas o corpo laminado é muito ruim).

    Então, consegui aqui uma prancha de JATOBA, trazida de rondonia, que já está envelhecida e guarda há uns 15 anos, portanto bem seca.

    Gostaria de fazer um corpo de Lespaul pra minha epiphone, provavelemnte com camaras, pois a madeira é muito pesada mesmo, (precisa de 2 ou 3 pessoas para carregar a viga que tem 6 cm de espessura, 1,40m de altura e 0,50m de largura). Dá pra fazer uns 3 corpos inteirissos!

    Minha dúvida é acerca do timbre dela, se voce já usou para corpos, apesar do peso e se eu vou precisar de outra madeira para tampo? E se eu usar a mesma para tampo ela pega acabamento natural, só com verniz?

    Muito obrigado

    Pablo

    Pindamonhangaba - SP

    ResponderExcluir
  10. Olá, Pablo!
    Tudo certo?
    Realmente jatobá é uma madeira muito densa. Quanto ao uso de outra madeira no tampo, é uma escolha que só você pode decidir. Eu não adotaria outra madeira, pois por ser uma peça única, entendo que ficaria uma peça bastante interessante e diferenciado. Porém, vale destacar que você deve confiar essa rara peça em um luthier confiável (que não seja apenas um curioso) para que a peça não seja perdido!
    Mesmo com o jatobá, você pode utilizar um acabamento natural.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Parabéns cara pelo blog,no que eu puder ajudar a mante-lo!
    Cara eu to com um Epiphone Especial aqui de bobeira e tava querendo trocar o corpo dela que é Laminado pelo da Les Paul e os captadores dela pelos captadores da PRS,mas 1 queria saber sua opinião se eu teria um resultado bom trocando o corpo dela, e qual você me indicaria?ou seria uma perca de tempo e dinheiro!e em relação aos captadores os meus funcionariam bem ou melhor trocar?

    Desde já agradeço
    Abraço,Peterson

    ResponderExcluir
  12. Olá, Perteson!
    Obrigado! Espero que esteja gostando das informações postadas.
    Se o braço de sua Epiphone for colado, não vale a pena trocar. Agora, caso ele seja preso por parafuso, compensa o investimento.
    Qualquer corpo que seja de madeira maciça, independentemente da madeira, será melhor que o seu corpo de madeira compensada e proporcionará um resultado bacana. Será uma nova guitarra!
    A sugestão é comprar um corpo usado, pois a madeira já estará seca, o que pode proporcionar um timbre mais puro.
    Para os modelos Les Paul, a madeira tradicional é o mógno. mas tem que ser o mógno de verdade. Ou seja, o brasileiro (que é considerado o melhor do mundo ou o americano).
    Evite os provenientes de países orientais, conhecidos como "mahogny".
    Os captadores PRS dispensam comentários. Mas se vc quiser economizar, indico os captadores Malagoli. Trata-se de uma empresa nacional que fabrica caps que não devem nada para as melhores marcas do mundo.
    Não tenho parceria com esta empresa para estar elogiando seus produtos. Não costumo fazer isso.
    Defendo essa afirmação pelo fato de diversos clientes meus terem instalado esse cap co satisfação total!
    Espero que tenha ajudado
    Abraço e até!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu cara pelas dicas e opiniões!
      Abração

      Excluir
  13. Bom dia meu nome é Gilmar!
    Eu quero saber se um corpo de contrabaixo americado costuma ter emenda ou se é inteiro ou sei lá...maciço, não sei ao certo a fórmula dessa pergunta que veio fazer confusão pra mim?
    Quanto a Malagolis eles fabricam captadores para contrabaixo?

    Comprei o Ultra Jazz DP 149 Dimarzio mas já me disseram que vou me arrepender por conta do som que faço e que justamente ser ultra jazz é mais pra médios e agudos do que para graves.
    Quais seriam então com timbres mais para graves do que médios e agudos e se tem circuito específico para passivo jazz bass 4 cordas ou se simplesmente volume + volume + Tom de 250k é suficiente para jazz bass 4 cordas?

    ResponderExcluir
  14. Olá, meu nome é André. Poderia me dizer se a guitarra Tagima T 635, corpo em Marupá, tem um som relativamente BOM? E a Tagima T 735, corpo em Cedro?

    ResponderExcluir
  15. Olá, André!
    Tudo certo?
    Obrigado pela confiança.
    É meio difícil responder a sua pergunta. Definir se o som "bom" é ou "ruim" é algo muito subjetivo.
    Não sou fã do marupá. Quanto ao cedro, acho bacana se for combinado com outras madeiras, de preferência mais densas, como o muirapiranga, roxinho, ipê entre outras que garantem mais definição ao som.
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. Olá, Gilmar!
    Tudo certo?
    Obrigado pela confiança.
    Sem olhar seu instrumento, infelizmente não consigo dizer se seu corpo é feito com uma única peça, ou mesmo três peças coladas. Por ser americano, não acredito que ele seja de compensado!
    Sobre os captadores, a marca que você comprou é muito boa. Se unir seu instrumento a um bom cabeçote (com controle de frequência) e caixa de baixo, com certeza conseguirá um som mais encorpado!
    A Hartke e a Ampeg sáo ótimas pedidas!
    Com esse equipamento, não acredito que haja necessidade de um sistema ativo.
    Essa é uma opinião particular.
    Obrigado e abraço!

    ResponderExcluir
  17. ola boa noite estou de olho em guitar que é toda de mogno e ai vc aconselha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo anônimo.
      Boa noite!
      Obrigado pela confiaça!
      Definir uma guitarra como feita "toda em mógno" é meio subjetivo, pois a escala, por exemplo, é uma parte da guitarra que raramente é feita em mógno. Pelo menos nunca vi uma escala em mógno.
      Se a guitarra foi feita por um luthier que ateste que o instrumento foi feito em mógno brasileiro (conhecido por ser o melhor do mundo), eu aconselho a compra. Porém, vale destacar que o mógno nacional não pode ser cortado. Sua exploração é proibida.
      Existe também uma madeira conhecida como mahogany. Muitos falam que é mógno. Porém é bem diferente do mógno brasileiro. A mahogany é mais porosa e frágil, com um timbre menos nobre. Além disso, já consertei vários braços feitos com essa madeira que se quebraram com apenas um tombo.
      Espero que tenha ajudado.
      Abraço.

      Excluir
  18. ola boa tarde queria mandar um luthier fazer um corpo stratocaster qual madeira top que eu usaria,mogno apesar de n ser muito usado em strato,ash,alder,cedro rosa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo anônimo!
      Tudo certo?
      Tenho em meu estoque uma infinidade de madeiras raras e nobres. Todas com procedências legais e que respeitam o meio ambiente. Se desejar fazer um corpo exclusivo para você, podemos fazer um estudo relacionando som que você deseja com as melhores madeiras. Tudo isso com base em estudos empiricos de ex-professores de luteria da Universidade Livre de Música Tom Jobim e trabalhos científicos das melhores faculdades públicas de Física do país.
      Caso haja interesse, deixo meu contato: vgomes_luthier@hotmail.com
      Abraço e obrigado pela confiaça!

      Excluir
  19. boa tarde queria saber se a condor cg250 é boa a madeira do corpo dela é em agathis e ela é pesada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo anônimo!
      Boa noite!
      Obrigado pela confiança.
      Indico a leitura deste texto.
      http://www.luthieremsantos.blogspot.com.br/2011/06/melhor-madeira-e-sem-duvida-envelhecida.html
      Ele poderá ajudar!
      Abraço

      Excluir
    2. brother muito obrigado pela a atenção na verdade eu queria saber se vale a pena investir na guitarra condor CG 250, TEM UNS QUE FALA QUE O CORPO DELA É AGATHIS E OUTROS FALA QUE É MOGNO A GUITA É MAIS PESADA QUE A TAGIMA SIGNATURE DO EDU.E EU QUERIA SABER A MADEIRA QUAL É A MADEIRA DELA.

      Excluir
    3. Puxa, para ter certeza, só olhando a madeira mesmo.
      Mógno não costuma ser muito pesada. Porém, se ela tiver sido cortada há pouco tempo, a umidade da medeira pode deixar a peça mais densa, de fato.
      Para ajudar na identificação, lembre-se de de o mógno não possui muitos desenhos e apresenta uma coloração alaranjada!
      Abraço!

      Excluir
  20. Olá amigo poderia me tirar uma duvida sou baterista e sei q as melhores bateras usam madeira nos casco Maple, q tem um som exelente.

    Minha duvida é entre a basswood ou poplar, qual seria a com melhor sonoridade? E melhor qualidade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo!
      Encontrei este link.
      Acredito que possa ajudá-lo
      http://forum.batera.com.br/forum_posts.asp?TID=52431&title=guia-de-madeiras
      Abraço!

      Excluir
  21. Olá, boa noite!
    Infelizmente não posso orientá-lo nesta questão, pois sou especialista em instrumentos de cordas, apenas.
    Não tenho conhecimento de como essas madeiras se comportam quando a questão envolve construção de baterias.
    Sugiro que você visite lojas de instrumentos musicais e estúdios e escolas de música para testas essas variedades de madeira, para ver qual timbre lhe agrada mais.
    Vale lembrar que as ferragens e a pele também interferem consideravelmente no som do instrumento.
    Mais uma vez peço desculpas por não podê-lo ajudar nessa questão.
    À disposição
    Abraço
    Vitor

    ResponderExcluir
  22. Caro, parabéns pelo site e suas matérias esclarecedoras. Permita-me pedir um conselho?
    Tenho uma Fender Southern Cross (aquela que a Gianinni estava licenciada a fabricar na década de 90). Troquei os caps dela por Fender Texas Special, ponte Gotoh VS100, tarrachas Gotoh 381. Ficou muito boa!
    Ocorre que tem um amigo que possui uma Fender American Traditional e quer trocar. Pesquisei sobre esse modelo e me deparei com a madeira “Poplar” em seu shape.
    Vale a pena trocar? Ou deveria comprar essa guitarra e transferir o hardware citado acima para a Traditional (uma vez que, segundo a pesquisa, o hardware dela é inferior)? Pode me ajudar nessa dúvida?

    No aguardo!
    Abraços!
    José Roberto
    São Paulo Capital
    jrmota@contax.com.br
    jrmeu@oi.com.br

    ResponderExcluir
  23. BOA NOITE!!!! PARABÉNS PELO SITE NOSSA MARAVILHA!!!
    MESTRE TO QUERENDO MONTAR UMA STRATO IDÊNTICA A DO Stevie Ray Vaughan vou usar cap texas especial?

    ResponderExcluir
  24. esquecir de perguntar qual madeira seria melhor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gledson!
      Obrigado pela participação
      Não existe madeira melhor ou pior.
      Cada uma tem as suas próprias características.
      Porém, entendo que é sempre melhor trabalhar com madeiras secas.
      Recomendo que leia o texto do link abaixo.
      http://www.luthieremsantos.blogspot.com.br/2011/06/melhor-madeira-e-sem-duvida-envelhecida.html
      Espero que tenha ajudado
      Abraço e até mais

      Excluir
  25. http://www.luthieremsantos.blogspot.com.br/2011/06/melhor-madeira-e-sem-duvida-envelhecida.html

    ResponderExcluir
  26. olá amigo, existe alguma tagima 635 fabricada em alder? as antigas..grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo anônimo!
      Agradeço a confiança.
      Porém, não posso responder a sua pergunta com propriedade, pois não conheço toda a linha da Tagima.
      As Tagimas antigas eram feitas no Brasil, portanto provavelmente eram feitas com madeira nacional.
      Pas para ter certeza disso, acredito que a própria empresa pode lhe passar essa informação.
      Obrigado e abraço
      Vitor Gomes

      Excluir
  27. OLA TENHO BRAÇO EM TODO EM MAPLE E CAPTAÇÃO CUSTOM SHHOOP 54 STRAT QUAL CORPO DEVERIA COLOCA UM CEDRO OU UM ALDER QUERIA UM TIMBRE ESTRALADO ENCORPADO PROXIMO OS DA FENDER AMERICANAS

    ResponderExcluir
  28. Olá amigo, estou pensando em comprar a Guitarra Ibanez GRG 150 DX o corpo dela é em Poplar.Será que é boa ?

    ResponderExcluir
  29. Olá, amigo anônimo!
    Obrigado por participar do blog!
    Essa é uma questão um tanto subjetiva, ou seja, é questão de gosto.
    Não aprecio muito essa madeira. Além de der esteticamente feia, é muito frágil.
    Espero que tenha ajudado
    Abraço
    Vitor

    ResponderExcluir
  30. Olá, agradeço pelas dicas importantíssimas. A guitarra groovin GHJ380 semi-acústica tem o corpo todo em basswood, tanto o tampo como as laterais e fundo. Gostaria de saber se esse tipo da madeira seria muito boa para corpos acústicos e semi-acústicos, devido a sua propagação do som, segundo seu artigo acima, ser de 5687 m/s e sua densidade ser bastante leve...
    Obrigado!
    Jhon Pass.

    ResponderExcluir
  31. Olá, amigo anônimo!
    Obrigado pela participação!
    Teóricamente o basswood, por ser de baixa densidade e bastante porosa, favorece os graves. Porém, a grande questão em instrumentos acústicos e semi-acústicos é se eles são feitos - ou não - com madeira compensada.
    Instrumentos semi-acústicos de compensado geralmente vibram menos do que os feitos com madeira maciça.
    Para que você entenda melhor essa questão, sugiro que leia os artigos abaixo:

    http://www.luthieremsantos.blogspot.com.br/2011/06/como-saber-se-o-instrumento-e-macico.html


    http://www.luthieremsantos.blogspot.com.br/2011/06/melhor-madeira-e-sem-duvida-envelhecida.html

    Espero que tenha ajudado
    Abraço e obrigado pela confiança
    Vitor

    ResponderExcluir
  32. O que significa quando na descriçao da madeira do instrumento está escrito assim: "madeira do corpo: basswood laminda"? o que é isso "laminado"?

    valew!!

    Jhonison Barros.

    ResponderExcluir
  33. Olá, Jhonison!
    Obrigado pela confiança e participação.
    Se quiser um instrumento de qualidade, evite a palavra laminado, principalmente quando se trata de instrumentos acústicos.
    Essa palavra signifiaca que o instrumento é feito com várias lâminas de madeira e isso influencia diretemente na qualidade do som.
    Sugiro que você leia o texto do link abaixo, considerando que instrumentos laminados são bastante similares aos de compensado.
    http://www.luthieremsantos.blogspot.com.br/2011/06/como-saber-se-o-instrumento-e-macico.html
    Espero que tenha ajudado
    Abraço
    Vitor

    ResponderExcluir
  34. Olá amigo,
    pretendo montar uma guitarra com as características da "black strat" do David Gilmour.
    Vou utilizar o trio da DG da Malagoli, mas preciso de uma dica para a combinação da madeira. prefiro madeira nacional. Poderia me dar uma dica.
    Desde já agradeço.

    Ms Ferreira

    ResponderExcluir
  35. Olá, Marcio!
    Tudo certo?
    Obrigado pela confiança!
    Infelizmente não conheço a guitarra Black Strat, tampouco David Gilmour! Hehehe!
    Se você me enviar informações como as madeiras e tipo de construção dessa guitarra, além do tipo de captador e o tipo de captador do trio DG Malagoli, poderei estudar e descobrir as madeiras nacionais mais adequadas e o tipo de construção que deixará com um timbre bastante similar à Black Strat.
    Tenho um estudo com as informações técnicas da maioria das madeiras nacionais indicadas para a construção de instrumentos musicais.
    Para mais detalhes, podemos conversar por e-mail (vgomes_luthier@hotmail.com) ou marcar um encontro - sem compromisso - em minha oficina.
    Meu tel é (13) 30216394
    Abraço e obrigado pela confiança

    ResponderExcluir
  36. Olá, meu amigo. Boa tarde. Gostaria de tirar uma dúvida com vc... não se conhece bem, mas aquela linha baixo tipo jazz bass produzida pela Giannini, com corpo em cedro, braço em maple (marfim arana) e escala em rosewood (jacarandá)... estas madeiras seriam realmente boas combinações, se considerando suas características? Conseguiria um bom som, semelhante a um jazz bass fender colocando captadores Mallagoli Custon? Desde já agradeço e aguardo. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  37. Complementando, me refiro a modelos produzidos em 1992, mesmo época em que foram produzidas pela Giannini as famosas Southern Cross, lincenciadas pela Fender. Grato.

    ResponderExcluir
  38. Olá, amigo anônimo!
    boa tarde!
    Para obter um timbre padrão Fender, o ideal é fazer um instrumento com o mesmo tipo de construção, as mesmas espécies de madeira e os captadores originais da Fender.
    Mas acredito que o seu Giannini e os caps Malagoli possam gerar um timbre similar!
    Abraço

    ResponderExcluir
  39. Boa tarde amigo.
    Primeiro parabéns pelo blog que é objetivo e ajuda os guitarraistas a dirimirem suas dúvidas em relação a seus instrumentos.
    Gostaria de saber sua opinião a respeito da Fender Mexicana (MIM). Tenho uma fabricada em 2009, Candy Apple Red. Tenhouma dúvida em relação à madeira utilizada no corpo. (seria sólido em várias partes?). Outra dúvida é sobra a Giannini GI300, fabricada entre 2001 e 2003, com o headstock antigo, padrão Fender e corpo em Poplar. Sei que é uma guitarra para iniciantes mas comprei-a para estudo e não precisar transitar com minha Fender. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mr. Lee!
      Bom dia e obrigado pela confiança.
      Sem olhar pessoalmente sua Fender não consigo dizer se ela é feita com uma ou diversas peças. Acredito que, como a maioria das guitarras desta marca, o corpo de seu instrumento deve ser feito com duas ou mais pedaços de madeira colados.
      Espero que tenha ajudado.
      Abraço e até mais!

      Excluir
  40. Olá, gostaria de algumas dicas sobre uma guitarra, já que você é Luthier e entende do assunto.

    Tenho uma Tagima E2 (Corpo: Cedro, Braço: Pau Marfim), atualmente com todas as peças de fábrica, e gostaria de saber se vale a pena investir nela e trocar captação, ferragens e hardware, uma vez que as madeiras são bem faladas, e quais caps eu colocaria nela, to em dúvida entre um set com 2xHH777+C. Alnico 50 ou o set EVO todos da malagoli, ou você recomenda outros caps, tipo os da LDR, cabrera e talz, e qual tipo de captador se encaixaria melhor no timbre dessas madeiras?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lucas
      Bom dia
      Obrigado pela confiança!
      Recomendo a troca das ferragens assim que as sua ponte apresentar sinais de oxidação e quando as tarraxas começarem a não sustentar a afinação.
      Quanto aos captadores, prefiro não opinar, pois trata-se de uma questão um tanto subjetiva.
      O mercado cria uma necessidade de consumo que muitas vezes atrapalha o músico. Se você estiver satisfeito com o timbre de seu instrumento, não troque seus captadores.
      Se não estiver satisfeito, sugiro que pesquise testes de captadores no youtube com guitarras que possuem a mesma configuração de madeiras que a sua.
      Procure ouvir testes com o som limpo. Distorção é ilusão, efeito que qualquer pedal e amplificador podem oferecer.
      Obrigado, mais uma vez e abraço

      Excluir
  41. opa tudo bem !!! meu nome é Lincoln e tenho uma guitarra fernandes de 91 vi que ela eh feita de poplar nao conheço essa madeira e sei pouco a respeito voce poderia me passar seu email tenho muitas duvidas sobre algumas coisas e acho que vc poderia me ajudar nao sei se for do seu alcance logicamente e tbm se estiver disponivel... obrigado pela atençao

    ResponderExcluir
  42. Olá, Lincoln!
    Bom dia.
    Obrigado pela confiança!
    Meu e-mail é vitorluthier@gmail.com
    Terei prazer em ajudá-lo.
    Abraço e até mais

    ResponderExcluir
  43. Oi! Tudo bem? Meu nome é Luis, estou por comprar uma Tagima T-405 de uma loja na qual fiquei meio desconfiado pelo atendimento (não vou contar a historia porque é muito comprida), acontece que eles vão vender essa T-405 fora da embalagem porque falam que é única de estoque, agora, como eu sou mais que iniciante, como saber se na guitarra vem os captadores de fabrica 2 Single Coils Standard de alnico e que não trocaram por uns 2 Single Coils da MG52 por exemplo. Tem alguma maneira de saber que os componentes são mesmo dessa guitarra que vou comprar? Agradeço uma resposta e obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo anônimo!
      Obrigado pela confiança!
      A única forma é leva-lá à Tagima e pedir para a empresa certificar a autenticidade dos captadores.
      Mas acredito que a loja, se for autorizada Tagima, não terá lucro em fazer esse tipo de ação criminosa. A mão-de-obra e tempo perdido (do luthier que faria a troca) superariam o custo dos captadores.
      Abraço
      Vitor

      Excluir
  44. Boa noite!! Meu nome é Rodrigo e queria saber se o blog é relacionado somente a guitarras ou posso fazer uma pergunta relacionado a baterias?

    Bom, a minha pergunta é a seguinte, andei olhando umas baterias ultimamente e vejo que as baterias da marca NAGANO tem aparecido com bastante força no mercado, porém a bateria mais básica é construída com uma madeira chamada de Hard Poplar. Queria saber a respeito dessa madeira em bateria. Se caso o blog está relacionado somente a instrumento de cordas, peço desculpas!

    Abcs e obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rodrigo!
      Obrigado pela confiança.
      Infelizmente não posso opinar quando o assunto é mecânica e acústica de baterias. Não tenho formação e nem experiência com instrumentos percussivos.
      Mas agradeço pelo contato
      Abraço
      Vitor

      Excluir
  45. material sensacional gostei muito!
    vc conhece a guitarra sx sst62 oq vc axa dela e da madeira tenho interesse em comprar uma oq vc me fala a respeito?

    ResponderExcluir
  46. Olá, Rafa!
    obrigado pela confiança.
    Não conheço a fundo essa guitarra, mas notei que o braço é em maple e a escala em rosewood. Essas madeiras são utilizadas nas guitarras da marca Fender. Se você for optar por uma SX, recomento das mais antigas, do final da década passada, pois possuíam um melhor acabamento.
    Abraço e obrigado pela confiança!

    ResponderExcluir
  47. olá gostaria de saber entre as guitarras tagima strato. estou em duvida entre a t 635 marupá - marfin e a t 735 cedro - marfin será que vc pode me ajudar tbem contando com captaçao que a t 635 sao 3 single de alninco e o da t 735 sao o t-standard de alninco obg.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ayron!
      Antes de tudo, obrigado pela confiança!
      Para poder responder com precisão, eu teria que ver pessoalmente os dois instrumentos. Não podemos considerar apenas as espécies da madeira, mas também o seu processo de secagem, cortes, grã, entre outros fatores.
      O ideal ser marcarmos um encontro em meu atelier para poder passar todas as informações com precisão, para que você faça o melhor negócio possível de acordo com suas necessidades e preferências.
      Obrigado e abraço
      Vitor
      vitorluthier@gmail.com
      (13) 3021-6394

      Excluir
  48. Olá! Gostaria de saber se as guitarras Waldman modelo lespaul com corpo em poplar são boas. De acordo com sua postagem, esse tipo de madeira é bastante leve, será que isso influência de forma negativa no som da lespaul? Desde já agradeço a atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Natanael!
      Antes de tudo, obrigado pela confiança!
      Para poder responder com precisão ao seu questionamento, eu teria que ver pessoalmente o instrumento.
      Não podemos dizer que poplar é uma madeira ruim. Na verdade ela tem suas próprias características, que são distintas do mógno, madeira tradicionalmente utilizada na Gibson LP.
      Não podemos considerar apenas as espécies da madeira, mas também o seu processo de secagem, cortes, grã, entre outros fatores.
      O ideal ser marcarmos um encontro em meu atelier para poder ver seu instrumento "in loco" e lhe passar todas as informações sobre ele com precisão.
      Obrigado e abraço
      Vitor Gomes
      vitorluthier@gmail.com
      (13) 3021-6394

      Excluir
  49. Bom dia, Meu nome é Renato ,,tenho captadores Seymor Duncan (Steve Harrys) cordas Rotosound (steve harris ) e ano passado em uma viagem achei um braço novo original do Baixo Fender Precision Steve Harris - o corpo original é em Alder ,, achei na Net Uma empresa em Minas que faz corpo em CNC ,,em marupa colado ou maciço ,,o que vc acha ? tambem gostaria de uma ideia de custo para monta-lo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Renato
      Boa tarde!
      Antes de tudo agradeço a confiança.
      Apesar de o marupá ter uma ótima resposta e boa velocidade de propagação de som, não gosto desta madeira, pois não possui uma boa mecânica.
      Quanto ao orçamento, não consigo passar sem ver o instrumento e seu estado de conservação e mecânica.
      Se quiser podemos conversar por e-mail: vitorluthier@gmail.com
      Abraço e obrigado pela confiança!

      Excluir
  50. Renato Arro ba K20n ponto com ponto br

    ResponderExcluir
  51. Bom dia !

    Sabeira me innformar algum fornecedor de madeira Rosewood ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dalmir
      Boa tarde!
      infelizmente não conheço fornecedores desta madeira. Não trabalho com esta espécie e nem com fornecedores, pois os cortes realizados são mal feitos.
      Obrigado pela confiança
      Vitor

      Excluir
  52. Olá. Meu nome é Ricardo e adquiri uma telecaster de luthier, com corpo de cedro rosa e braço de marfim. As peças serão todas Fender Americanas, como captadores Fender American Vintage 52, ponte vintage com 3 sadles em latão, tarrachas Fender. Sou apaixonado pelo som estado e quente das Fender Telecaster 52. Será que conseguirei um som aproximado, com o corpo de cedro rosa? Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ricardo
      Boa tarde!
      Possivelmente você conseguirá um timbre próximo ao da Fender, mas nem tanto. Isso porque as características mecânicas e de propagação do pau-marfim é bastante diferente do Maple adotado pela Fender.
      Outro fator que se deve levar em conta é o tipo de corte adotado pelo luthier. Ele utilizou o corte correto? Isso influi consideravelmente no resultado final do timbre de instrumentos passivos.
      Espero ter ajudado
      Obrigado pela confiança
      Abraço
      Vitor

      Excluir
  53. Boa tarde. Gostaria de saber se para o corpo de uma guitarra les paul a madeira jequitiba é uma madeira boa....o corpo é de uma peça ...Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Douglas
      Boa tarde
      Obrigado pela confiança
      Costumo dizer que toda madeira maciça é boa, porém proporcionam timbres diferentes.
      O importante é conhecer as propriedades mecânicas e de ressonância da madeira.
      Além disso, deve se certificar de que a madeira está com baixo teor de umidade e com o corte correto.
      O jequitibá não possui a mesma resposta e velocidade de propagação de som que o mogno (madeira tradicionalmente utilizada em LPs). Por isso o timbre será diferente.
      Obrigado pela confiança
      Vitor

      Excluir
  54. Olá! Parabéns pelo blog. Muito bom mesmo!
    Gostaria que você me ajudasse numa dúvida. Pretendo comprar um bom violão com tampo sólido. Verifiquei dois violões de uma marca que possuem basicamente a mesma configuração, diferenciando-se apenas na madeira do corpo. Um possui tampo em cedro e laterais e fundo em rosewood enquanto o outro possui tampo em spruce e laterais e fundo em mahogany (isso mesmo, mahogany, pois a marca dos violões é americana). Fiquei na dúvida entre qual madeira é a melhor para laterais e fundo, tanto que pesquisei e o que encontrei foi basicamente a diferença de sonoridade entre as duas, porém não obtive esclarecimento se há alguma melhor que a outra. Quanto ao tampo, me preocupei apenas que fosse sólido, porém não sei se uma levaria grande vantagem em relação à outra. Gostaria de sua opinião a respeito de qual violão seria melhor comprar, levando em consideração o conjunto das madeiras utilizadas.
    Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
  55. olá, meu nome é Alan, muito legal seu blog, sou da baixada santista também, bom saber que tem gente com grande conhecimento não tão longe. Gostaria de saber sobre essas replicas de Fender da China, principalmente as modelos Malmsteen, são construídas em Baswood, isso muda muito a característica do timbre em relação ao Alder?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alan
      Obrigado pela confiança.
      Fico feliz que tenha gostado do blog.
      Sim o baswood muda bastante em relação ao alder, principalmente se levado em conta o corte da madeira.
      O Alder favorece os médios e agudos, o que é bacana para instrumentos como guitarras.
      Já o baswood, possui uma propagação sonora muito mais rápida do que o Alder. Isso gera uma resposta mais precisa. Se o corte desta madeira estiver perfeito isso poderá favorecer de forma considerável o sustain e os harmônicos do instrumento.
      Outra vantagem é que o baswood é extremamente leve.
      Espero que tenha ajudado
      Abraço
      Vitor
      (13) 3021-6394

      Excluir
  56. Olá, meu nome é Fabio. Primeiramente, parabéns pelo blog! Minha dúvida é: Entre Freijó e Marupá, qual delas tem o timbre mais próximo do Alder por eliminação?? Ouvi dizer que o Marupá gera um timbre mais mais próximo do Ash, é verdade? Valeu e um grande abraço!

    ResponderExcluir
  57. Amigo primeiramente parabens pelo blog. estou num dilema penso em mandar fazer uma guitarra. strato com floyd rose a madeira q pensei em escolher seria o cedro rosa mais fikei sabendo q o cedro rosa e umamadeira macia de mais pra suporta a preçao das da ponte i com poco tem surgiriao poblema a perguta è isso tem fundamento e real isso ?

    ResponderExcluir
  58. Meu nome é André, qual madeira nacional é igual ou similar ao Basswood?

    ResponderExcluir
  59. boa noite!!qual o tipo de madeira usado no baixo tagima tbm musicman??

    ResponderExcluir
  60. Olá
    Meu nome é Marcos Antonio
    Parabéns pelo blog
    sou novato, mas já sou seu fã
    Gostaria de saber qual as principais diferenças entre o Cedro e o Basswood? Que guitarra seria melhor comprar, com cedro ou basswood? O que isso me proporcionaria?
    O que vc acha da linha Memphis by Tagima?

    Obrigado
    desculpa ai rsrsrsrs (muita pergunta)
    Boa noite

    ResponderExcluir
  61. Bem gostaria de parabenizar pelo seu trabalho e pelo blog

    Tenho uma duvida eu toco Red hot chili peppers mas nao tenho dinheiro para uma fender strato deluxe, entao comprei essa semana uma squier com corpo em alder(assim com a fender) e gostaria de saber se pra comseguir um son bem proximo ao da fender eu precisaria por caps fender vintage, e tb saber se precisaria mudar mais alguma coisa como ferragens e eletrica??

    ResponderExcluir
  62. mogno ser sem graça e malagoli ser igual aos fender americanos, nossa vc é o cara, parabéns

    ResponderExcluir
  63. olá,oque é melhor squier com corpo em alder ou squier com corpo em agathis?

    ResponderExcluir
  64. olá,oque é melhor squier com corpo em alder ou squier com corpo em agathis?

    ResponderExcluir
  65. Boa tarde, tenho uma guitarra tagima arrow 2 juninho afram e o corpo dela é feito em cedro, o Sro acha uma boa guitarra? Vale a pena eu trocar os captadores e a ponte? A ponte estou querendo colocar uma gotoh. Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
  66. Outra coisa, se não for incomodo o Sro poderia mim dar uma opinião em relação a essas duas guitarras a tagima arrow 2 juninho afram e a ibanez rg 350dx? Qual das duas é a melhor? Mais uma vez agradeço.

    ResponderExcluir
  67. Ola amigo, parabens pelo trabalho e pelo blog, e obrigado pelas valiosas informaçoes, poderia me informar se peroba rosa é indicada para braço, estou começando a fazer uma les paul, mas nao tenho grandes espectativas com o resultado final, so kro ter a experiencia de construir um instrumento, um amigo me disse que é perda de tempo por que a peroba vai rachar, mas queria uma opniao proficional (detalhe: a escala será em ipe) obg...

    ResponderExcluir
  68. Olá! Parabéns pela excelente matéria.
    Entrei aqui justamente porque estou buscando informações sobre a peroba rosa, assim como o meu colega acima. Só que o lance é que eu ja tenho uma peça de peroba rosa e gostaria de fazer um ukulele. Teve gente que falou que esteticamente não ficaria bom, outro falou que não é madeira usada em instrumentos. Eu até encontrei um fórum onde um cara tinha feito um violão com esta medeira. Mas gostaria de saber a sua opinião.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  69. Boa Noite
    Gostaria de pedir a ajuda de vocês na construção do meu novo Contra-baixo de 5 cordas
    Hoje eu estou buscando um timbre o mais próximo possível do Warwick Streamer Stage II
    Link com áudio do baixo: https://www.youtube.com/watch?v=Tmq1JTMGfNY

    Pensei em duas configurações

    Corpo: Cedro Rosa
    Braço inteiriço: Cedro Rosa (3 longarinas de marfim do início do headstock ao final do corpo)
    Escala: Rouxinho
    Trastes: Extra Jumbo ( Liga de Bronze,as mesmas utilizados pela a Warwick)
    Captadores: Mec Gold Ativo (Mesmos usados nos Streamer Stage II e na mesma posição)
    Preamp: Aguilar OBP-3



    Corpo: Cedro Rosa
    Braço inteiriço: Freijó (3 longarinas de Pequiá do início do headstock ao final do corpo)
    Escala: Pau Ferro
    Trastes: Extra Jumbo ( Liga de Bronze,as mesmas utilizados pela a Warwick)
    Captadores: Mec Gold Ativo (Mesmos usados nos Streamer Stage II e na mesma posição)
    Preamp: Aguilar OBP-3
    Corda B atravessando pelo o corpo e com Extend B String (corda B estendida)
    Saberiam me informar , qual configuração eu chegaria bem próximo aquele timbre Clank , Growl, com aquele Punch da corda B absurdo que os Stage II possui.


    qual configurações vocês sugerem, podem montar e me mandar fazendo o favor.grande abraço, podem me procurar no Facebook, Phillipe Soares.

    ResponderExcluir
  70. Mogno visual sem graça ? Use mdf então

    ResponderExcluir
  71. Meu caro, luthier. Vou construir uma réplica da gibson recording 72 utilizada pelo les Paul até o ano de sua morte em 2009. Que madeiras posso utilizar no braço e no corpo e ela tem braço colado, salvo engano, será que posso instalar um tensor no braço.

    ResponderExcluir
  72. Olá eu sou Eduardo Rodrigues, guitarrista da Banda Ministério Voz de Deus e também sou compositor, gostaria de saber qual a melhora madeira brasileira para a construção de uma guitarra versátil, e de bom timbre. Desde já agradeço sua atenção, e que o Todo Poderoso Deus, possa abençoa-lo grandemente!

    Meu email e luizeduaraujo67@gmail.com

    ResponderExcluir
  73. Olá boa noite! Eu tenho uma Goldem Gmpa569d e assim o braço eh em maple,a escala jacaranda e o corpo em cedro! Mandei aqui no meu luthier ele está fazendo as regulagens possiveis eu queria saber qual a linha de captadores que eu posso colocar pra ela incluindo os mini humbuchers? E numeração pra nao ficar um timbre mega pesado?? Obrigado!!

    ResponderExcluir
  74. Olá boa noite! Eu tenho uma Goldem Gmpa569d e assim o braço eh em maple,a escala jacaranda e o corpo em cedro! Mandei aqui no meu luthier ele está fazendo as regulagens possiveis eu queria saber qual a linha de captadores que eu posso colocar pra ela incluindo os mini humbuchers? E numeração pra nao ficar um timbre mega pesado?? Obrigado!!

    ResponderExcluir
  75. Bom dia amigo, estou numa dúvida cruel, possuo um Takamine EG 523 Jumbo onde o tampo é em Spruce e seu corpo em Maple,amo esse violão mas levei ele num Luthieria da região e ele me disse que eu tinha um prazo médio de 2 anos para passa-lo a frente devido a problemas estruturais de sua construção,só que fiquei com isso na cabeça e agora estou na caçada por outro do mesmo nível e encontrei o Epiphone Masterbilt, que é em Mogno seu corpo...por ser essa Madeira ele proporcionaria a mim a mesma sensação boa que o Instrumento em Maple? Tive um CRAFTER DE/7N e ele era perfeito no som,bem alto, até mais que o Jumbo da Takamine me proporciona hj,será que eu caí simplesmente no conto da estética ou seja,violão caro não é sinônimo de violão bom?

    Adorei sua page e tópico.

    ResponderExcluir
  76. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  77. Vitor, ótimo blog!
    Informações muito úteis. Obrigado por compartilhar seus conhecimentos. Algumas dúvidas:
    O que se refere a velocidade de propagação sonora? Quanto maior é melhor? Influencia no sustain?
    Enfim, poderia explicar mais sobre?

    Obrigado e Abraços!

    ResponderExcluir
  78. Olá! O que você acha da Cort CR50? No site oficial da Cort diz que o corpo é de poplar e o braço é de Hard Maple Canadense. Não ouvi falar muito dessas madeiras, ela são boas?
    Essa guitarra é no estilo da Epiphone Les Paul Especial, e essa Epiphone, apesar de o site dizer que é feita de Mogno, já vi vídeos que mostram que ela é mogno laminado(madeirite). Você acha que e CORT CR50 deve ser assim também? obrigado!

    ResponderExcluir
  79. Boa tarde
    Tenho um clarinete de madeira jacarandá indiano dai ele está com umidade e dilatou o q posso fazer p ele voltar ao normal?

    ResponderExcluir
  80. pode fazer braço de uma les paulo de peroba rosa

    ResponderExcluir
  81. pode fazer braço de uma les paulo de peroba rosa

    ResponderExcluir
  82. Ola Vitor.
    Parabéns pelo seu belo trabalho.
    Podes me tirar uma dúvida?
    Em relação à corpos maciços para contrabaixo.
    Tenho imbuia, louro-freijo, pau-marfim, canela parda e pau-rainha.
    Considerando o braço em jequitibá e escala em imbuia, qual das madeiras acima daria um corpo com o som mais encorpado e com maior sustentação?

    ResponderExcluir
  83. Amigo e referente a madeira aghatis é uma boa madeira?

    ResponderExcluir
  84. Bom dia!!

    Estou querendo comprar uma guitarra Tagima T405 ou T505, o que vc tem a me dizer dessas guitarras em relação as maderas utilizadas.

    Especificações:
    - Braço: Marfim
    - Corpo: Marupá
    - Escala: Marfim, Com 22 Trastes E Marcações Pretas
    - Nut (Capo Traste): Osso
    - Medida: 43mm
    - Captadores: 2 Single Coils Standard De Alnico
    - Controles: Chave De 3 Posições, 1 Controle De Volume E 1 De Tonalidade
    - Ponte: Tradicional De Tele Cromada
    - Tarraxas: Cromadas E Blindadas
    - Cor: Preta
    - Escudo: Mint Green

    ResponderExcluir
  85. Bom dia eu tenho uma tagima E2,corpo em cedro escala marfim, eu não curto muito o tinbre dela por ser meio fechado, eu curto tinbres mais estralados como as guitarras fender, sera que se eu colocar um escudo com os cortes single e adapitar um kit de capitadores texas especial que tenho sera que resolve?

    ResponderExcluir
  86. Tira um dúvida minha por favor? Entre a tele t505 dá Tagima e a tele clg89 da strinberg, qual vc me aconselharia a compra? Estou bem encantado com a tele dá Tagima.

    ResponderExcluir
  87. Boa noite Vitor,

    Ressuscitando aqui o tópico me responda uma pergunta:
    Você disse acima que o cedro não deve ser usado com um braço/ escala em pau-marfim t não uma tagima modelo Eduardo Ardanuy que é exatamente essa configuração.

    Se eu levar a guita a um luthier e refazer apenas a parte da escala isso melhora? Ou seria melhor fazer um braço todo novo nas mesmas medidas etc porém em maple?

    ResponderExcluir
  88. estou querendo comprar um cavaco em marupá vc como profissional luthier me recomendaria ou nao? grato aqui e o leonardo

    ResponderExcluir